Como cada tipo de resíduo deve ser descartado?

Os resíduos existem em diferentes tipos e todos nós os produzimos diariamente, gerando uma produção frequente que cada vez mais cresce com o tempo.

Segundo dados da ABRELPE (Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais) a geração total de resíduos no Brasil teve uma alta de 19% entre 2010 e 2019, subindo de 67 milhões de toneladas em 2010 para 79,6 de toneladas em 2019, demonstrando a alta da produção.

E com tanta quantidade de resíduo sendo produzida cada vez mais, a necessidade de um descarte correto aumenta muito, pois quando ocorre à má administração do descarte, consequências catastróficas podem ser vistas no meio ambiente e na população em geral, portanto, para que isto não ocorra, existem meios existentes de garantir uma boa administração de descarte, e neste texto iremos abordar cada meio correto que existe para cada tipo de resíduo.

Tipos de resíduos e seus determinados descartes

Segundo a lei federal 12.305/2010 que conciliou a criação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, existem vários grupos de resíduos existentes, mas os três tipos principais e que são mais comuns são os rejeitos, resíduos sólidos e líquidos, e dentre as diretrizes impostas na PNRS, cada um deve ter seu devido descarte.

O rejeito, por exemplo, é definido como tipo de resíduo no qual não é possível fazer a reciclagem, e seu destino correto é o aterro sanitário. Já o resíduo líquido, segundo a PNRS, é o tipo de resíduo inviável para descarte na rede pública, exigindo soluções técnicas com alta tecnologia para realizar o descarte, como por exemplo, a contratação de empresas que coletam este tipo específico de resíduo, pois são especializadas em tratamento e possuem estações de tratamento determinadas para cada tipo de líquido.

Já para os resíduos sólidos, a PNRS recomenda que o descarte seja feito através de empresas de coleta, pois elas irão encaminhar o material para um local onde o uso irá ser feito de modo correto.

Sendo assim, é possível definir que cada componente tem seu determinado descarte recomendado, e para que não ocorra uma degradação do meio ambiente, estes passos devem ser seguidos.

Gostou do texto? Acesse nosso site e fique por dentro das notícias do mundo sustentável.

Siga a Brasil Coleta no Facebook e Instagram para acompanhar as atualizações

Nenhum comentário. Seja o Primeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *